Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Segredo revelado

Segredo revelado

24.08.10

colo


segredo_revelado

 

 

Quem gostar de sentir o ‘’colo’’ de alguém , naqueles momentos em que nos sentimos mais tristonhos e nostálgicos , ou mesmo para dar largas à comemoração de alguma ocasião mais alegre e feliz , que levante o braço.

(Em bicos de pés , espreitando se há muitos braços no ar.)

Mesmo que alguns de vocês levantassem mesmo o braço , é-me impossível ver isso, mas creio não ser eu o único a ter a vontade de o levantar.

Por muito robusto e impenetrável que seja o nosso castelo emocional , não há ninguém que não goste ou precise de sentir o ‘’colo’’ amigo. 

O colo a que me refiro não é necessariamente sinónimo único e exclusivo de colo físico. É um colo mais envolvente e mais abrangente, composto da parte física e do sentir e fazer sentir corporalmente  que somos gostados e que gostamos, mas que também tem inerente uma parte psicológica e emocional, que não se vê , mas se sente tão ou mais intensamente como o colo físico.

Um abraço, um beijo, uma caricia... tudo isso é colo.

Um silêncio , uma palavra certa no momento exacto, um olhar...tudo isso é colo.

O colo , chegue ele como chegar , é um porto seguro , onde as tempestades amainam . Amainam dores , amainam saudades,...

Como é possível que , sem sequer perceber bem o como ou o porquê ,apenas por causa de uma música, de um momento para o outro, me veja entregue a uma estranha nostalgia ?!

Apetece-me colo! Aninhar-me , de olhos fechados e de coração aberto, e esquecer que sou adulto , que já sou um homenzinho de barba rija. Ai se ter barba fosse sinónimo de ter nas mãos a chave das nossas emoções! Trocar uma lágrima por um sorriso, num daqueles passes de magia que ninguém percebe como acontece , mas que toda a gente gosta de ver, seria algo que estava ao nosso alcance.

Há colos vazios do seu verdadeiro significado simbólico, de carinho e de envolvimento? Há colos mais apetecíveis do que outros? Há colos insubstituíveis?

Há! Há colos cheios de nada...Há colos que apetecem mais...Há colos insubstituíveis , como por exemplo o colo da mãe, do pai, da namorada(o), do marido, da mulher, de quem nos quer bem e a quem queremos bem...

Quero colo!

E  já que estou numa de pedinchar, quero um croissant e um pastel de nata...

Ah! E uma bomboca...

E, se não for pedir demais , um lugar à sombra,para não apanhar muito sol na moleirinha e para dormir ao som desta lullaby ...

 

 

 

 

 

segredo revelado: De cada vez que a nostalgia me invade...

De cada vez em que não me sinto bem na minha pele...

De cada vez em que tropeço, caio e esfolo os joelhos e as palmas das mãos...

Quero colo!

...

 

BASTA SER

Muitas vezes basta ser:

colo que acolhe,
braço que envolve,
palavra que conforta,
silêncio que respeita,
alegria que contagia,
lágrima que corre,
olhar que acaricia,
desejo que sacia,
amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo,
é o que dá sentido à vida,
É o que faz com ela não seja nem curta,
nem longa demais,
mas que seja intensa,
verdadeira, pura...
Enquanto durar...

(Cora Coralina)